Quando nas consultas prescrevo sumos na "slow juicer" é porque entendo que o paciente necessita de mais energia, vitalidade e para a obter de uma forma rápida, esta é uma boa opção. Assim, o sumo sem fibra permite uma absorção muito mais rápida das vitaminas e minerais pelo organismo, pelas nossas células.
Deve ser ingerido logo pela manhã. Pessoas com algumas patologias específicas não podem tomar este sumo. Refiro-me, por exemplo, no caso da diabetes.
A fibra pode ser utilizada para a confecção de bolachas, colocada em arroz, burguers, enfim, um sem número de utilizações.

O sumo feito na liquidificadora deve ser feito utilizando 1 a 2 frutas diferentes - de preferência não misturar frutas doces com semi ácidas e ácidas -, e vegetais.
O sumo deve ser preferencialmente simples, ou seja, não devemos fazer grandes misturas: 1 ou 2 peças de fruta (eu uso muito a pera e a maçã), folhas verdes (couve portuguesa, brócolos, espinafres baby, hortelã, salsa, coentros), cenoura, beterraba, abóbora...
Costumo fazer 2 tipos de sumos: o verde, chamado vulgarmente de detox e o vermelho, antioxidante.
Acrescento sempre: gengibre, açafrão das índias + pimenta preta (altamente anti inflamatórios) e, por vezes alguma microalga, como a spirulina, a kelp ou a clorela, tudo depende do objetivo pretendido.

Exemplos de sumos feitos na liquidificadora:

Sumo verde detox: 1-2 peras, 2 mãos de espinafres baby, hortelã, 1 pepino, gengibre, açafrão das índias + pimenta preta + água alcalina ou água de coco.

Sumo vermelho: 2 mãos cheias de frutos vermelhos, 2 folhas de couve portuguesa, hortelã, gengibre, açafrão das índias + pimenta preta + água alcalina ou água de coco.